Considerando a evolução das curvas de casos e mortes, o Brasil voltou a ter crescimento de ambas, segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde

© null



O número de mortes em função da pandemia do novo coronavírus chegou a 138.977 no Brasil, conforme a mais recente atualização de dados do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta quarta-feira (23).

Nas últimas 24 horas, foram registrados 869 novos óbitos. Ontem, o total estava em 138.108. As autoridades de saúde ainda investigam 2.422 mortes que podem ou não estar relacionadas à doença.

Já o total de casos acumulados atingiu 4.624.885. Entre ontem e hoje, as secretarias estaduais de saúde acrescentaram ao sistema do Ministério da Saúde 33.281 novos diagnósticos da covid-19. Ontem, o sistema marcava 4.591.604 de pessoas infectadas, desde o início da pandemia.

Considerando a evolução das curvas de casos e mortes, o Brasil voltou a ter crescimento de ambas, segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde apresentado também nesta quarta-feira pela equipe do órgão.

Ainda de acordo com a atualização, 493.022 pessoas estão em acompanhamento e outras 3.992.886 já se recuperaram.

Nas últimas 24 horas, o estado de São Paulo, que tem o maior número absoluto de casos e mortes no país, contabilizou 6.551 novos casos e 226 novas mortes por covid-19. Com isso, o estado acumula 951.973 casos confirmados do novo coronavírus, com 34.492 mortes.

Do total de casos diagnosticados, 818.593 pessoas já estão recuperadas da doença, sendo 104.209 delas após internação.

Há 3.972 pessoas de todo o estado internadas em estado grave em casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus, além de 5.280 internadas em enfermarias. A taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) está em torno de 46,9% no estado e de 46,1% na Grande São Paulo.

Além de São Paulo, os estados com mais morte são Rio de Janeiro (17.911), Ceará (8.861), Pernambuco (8.085) e Minas Gerais (6.897). As unidades da Federação com menos vidas perdidas até o momento são Roraima (616), Acre (652), Amapá (697), Tocantins (890) e Mato Grosso do Sul (1.204).

Por: Notícias ao Minuto.

Apesar da forte alta do dólar na sessão, Banco Central não interveio no mercado


© null


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O dólar teve o quarto pregão seguido de alta nesta quarta-feira (23), com valorização de 2,24%, a R$ 5,5920, maior valor desde 26 de agosto, quando estava a R$ 5,62. O turismo está a R$ 5,88.

Segundo analistas, o movimento reflete uma combinação da força internacional da moeda, impulsionada pela desaceleração na atividade econômica nos Estados Unidos e aumento de novos casos de Covid-19 na Europa, com a preocupação com o cenário fiscal brasileiro, que eleva o risco no país e enfraquece o real.

"Temos um déficit fiscal grande, dificuldade de celeridade nas reformas e a prévia da inflação que veio maior que o esperado pelos economistas", diz Cristiane Fensterseifer, analista da Spiti.

O real teve o pior desempenho entre emergentes na sessão, a despeito de dados melhores das contas externas. O Brasil registrou superávit em transações correntes pelo quinto mês seguido em agosto, levando o déficit em 12 meses ao menor patamar desde junho de 2018.

Números melhores nas contas externas em tese significam fundamentos mais robustos e menor pressão do lado de oferta de moeda, mas o câmbio contratado segue exibindo fortes saídas de recursos, especialmente na conta financeira, por onde passam fluxos para portfólio, empréstimos, remessas, entre outros.

Apenas na semana passada, o país perdeu na conta financeira US$ 2,880 bilhões, elevando o déficit em setembro para US$ 3,066 bilhões. No ano, o rombo soma US$ 50,714 bilhões.

Além disso, na terça (22), o Ministério da Economia divulgou estimativa de que as contas federais vão encerrar 2020 com um rombo de R$ 861 bilhões, o pior resultado da série histórica.

Apesar da forte alta do dólar na sessão, Banco Central não interveio no mercado. A última vez que o BC atuou de maneira mais incisiva no câmbio foi na segunda quinzena de agosto, quando o dólar oscilava perto dos atuais patamares.

"O que tenho dificuldade de entender é a torcida do Banco Central para o câmbio se estabilizar ao invés de subir uma barreira em algum preço, uma vez que ele já está contaminando a inflação e isso pode tirar o carro dos trilhos", afirmou Luiz Fernando Alves, sócio do Fundo Versa.

O pregão foi marcado por ampla aversão a risco no mundo com o salto em casos de Covid-19 na Europa e queda das ações de tecnologia nos Estados Unidos. A Bolsa americana Nasdaq caiu 3%, Dow Jones, 1,9% e S&P 500, 2,4%.

A empresa de dados IHS Markit disse nesta quarta que seu índice PMI Composto preliminar, que acompanha os setores de manufatura e serviços dos EUA, caiu para 54,4 em setembro, ante leitura de 54,6 em agosto - um resultado acima de 50 indica crescimento e, abaixo, contração.

Segundo o levantamento, os ganhos nas fábricas foram compensados por um recuo nas indústrias de serviços, sugerindo perda de ímpeto para a economia à medida que o terceiro trimestre chega ao fim e a pandemia de Covid-19 permanece.

Enquanto a atividade desacelera, no Congresso americano continua o impasse por mais estímulos. Segundo o Goldman Sachs, na ausência delas, um novo ânimo na economia dos EUA dependerá de uma vacina contra o Covid-19.

Por: Notícias ao Minuto.

A resolução será publicada em Diário Oficial nesta quinta-feira e o Tribunal de Justiça será comunicado para dar início à formação do Tribunal Misto.


© Reuters


A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou de forma unânime, por 69 votos a favor e nenhum contra, o relatório que pede o impeachment do governador afastado Wilson Witzel. A sessão, realizada nesta quarta-feira (23), reuniu 69 deputados, presencialmente ou de forma remota. Um deputado está afastado por problema de saúde.

O projeto precisava de um mínimo de 47 votos para ser aprovado. A resolução será publicada em Diário Oficial nesta quinta-feira (24) e o Tribunal de Justiça (TJ) será comunicado para dar início à formação do Tribunal Misto. O tribunal é formado por cinco deputados eleitos pela Alerj e cinco desembargadores eleitos por sorteio pelo TJ. A partir da formação do tribunal, o governador é afastado por até 180 dias enquanto os seus membros analisam a questão.

Witzel, que desistiu de comparecer presencialmente à Alerj, falou por videoconferência ao final dos discursos de 28 deputados, todos com críticas a ele. O governador afastado falou por cerca de 60 minutos. Ele se defendeu, dizendo que foi um julgamento injusto: “Estou sendo linchado moral e politicamente, sem direito de defesa. A tirania escolhe suas vítimas. Felizmente a história mostra que mártires nunca morrem”. Citou o Sermão da Montanha, “bem-aventurados os que têm fome e sede de Justiça, porque eles serão fartos”.

Witzel também falou sobre a democracia, criticando a forma como ele foi afastado pela Justiça: “Estamos matando a nossa democracia. O bem maior é o voto. O respeito e a força do voto estão sendo solapados. Eu fui afastado sem o direito de falar, sem inquérito prévio. Estou sendo afastado por 180 dias, em pleno exercício do mandato, outorgado pela população. Não pude exercer o meu amplo direito de defesa”.

Witzel adotou um tom forte, por vezes com ataques ao Legislativo: “Eu jamais fui omisso em ouvir e procurar corrigir. Quantos deputados foram investigar as OSs [organizações sociais]? Se tinha pagamento irregular, os senhores e as senhoras também foram omissos. Muitos aqui jamais me procuraram. Só falam da tribuna, só reclamam, mas não trazem solução nenhuma. Só fazem projetos autorizativos, atos politiqueiros”.

O governador afastado encerrou dizendo que não se importava de ser julgado, porque tinha a convicção que jamais havia praticado ato ilícito: “Não encontraram um centavo na minha conta. Eu não tenho milhões. Só tenho a minha casa no Grajaú. Eu já estou julgado, previamente condenado. Estou sendo amputado do meu cargo. Estou sendo linchado politicamente, de uma forma muito triste. Eu não vim aqui para roubar, vim aqui para mudar a política. E a política não vai me mudar”.

O início do processo de impeachment de Witzel foi aprovado em 10 de junho, por 69 deputados, de um total de 70 parlamentares. Ele é suspeito de envolvimento em compras fraudulentas e superfaturadas de equipamentos e insumos para o combate à pandemia de covid-19.

Witzel foi alvo, no dia 26 de maio, da Operação Placebo, autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que investiga corrupção na compra de equipamentos e insumos para o combate à pandemia no estado. Além dele, também foram alvos a primeira dama, Helena Witzel, a empresa Iabas, que presta serviços de saúde, e outras pessoas. Os policiais federais chegaram a realizar buscas no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador, e na casa da família Witzel, no bairro do Grajaú.

Dias antes, o seu então secretário de Saúde, Edmar Santos, já havia sido afastado do governo, por acusações de desvios na pasta, em favor de grupos empresariais, com o recebimento de propinas.

Witzel foi afastado do poder, por 180 dias, no dia 28 de agosto, no âmbito da Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro. A ação foi autorizada pelo ministro do STJ Benedito Gonçalves.

Por: Notícias ao Minuto.

A faixa etária dos voluntários também foi ampliada e, agora, os testes serão feitos em participantes com mais de 16 anos.


© Pixabay



A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira, 18, que o número de voluntários brasileiros que estão participando dos estudos para o desenvolvimento da vacina da Pfizer e da BioNTech contra a covid-19 seja dobrado. Com a permissão, o número de participantes passou de mil para 2 mil. A faixa etária dos voluntários também foi ampliada e, agora, os testes serão feitos em participantes com mais de 16 anos.

A vacina BNT162 está sendo testada em São Paulo e na Bahia. Segundo a Anvisa, o laboratório recebeu, na semana passada, autorização para incluir um novo local de fabricação das doses que estão sendo usadas nos testes. A agência informou que a solicitação de ampliação de voluntários é um procedimento comum em testes clínicos.

"Graças ao empenho e dedicação dos centros de pesquisas participantes, a companhia decidiu expandir o número de participantes brasileiros no estudo em mais mil pessoas, totalizando assim 2 mil voluntários participantes", informou, em nota, a Pfizer.

O laboratório informou que vai expandir o número de participantes do estudo para a vacina, chegando a cerca de 44 mil participantes, e disse que já fez a solicitação para a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana.

"A expansão proposta permitirá aumentar ainda mais a diversidade da população participante e incluir adolescentes de até 16 anos de idade e pessoas com HIV estável e crônico, hepatite C ou infecção por hepatite B, bem como fornecer mais dados de segurança e eficácia."

Vacina de Oxford

Nesta semana, a agência autorizou a inclusão de mais 5 mil voluntários brasileiros nos estudos da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. Com a autorização, o número de participantes também dobrou. A solicitação foi feita pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que coordena os estudos no Brasil.

Por: Notícias ao Minuto.

 


Diante do sucesso e do rápido preenchimento da segunda turma do Curso de Sedação Medicamentosa na Odontologia Clínica, o ITV - Instituto Tavares Vieira: Excelência em Odontologia, vai abrir a TERCEIRA TURMA nos  dias 04 e 05 DE NOVEMBRO com o Prof. Dr. Arnaldo Caldas e a Esp. Juliana Andrade.

AS VAGAS SÃO LIMITADAS!

Ligue 3268.1568 e 99550.5251 e faça a sua Inscrição. Se preferirem enviem mensagens através do e-mail: cursos@institutotavaresvieira.com.br.



 

Movimentação no TI Joana Bezerra durante pandemia de Covid-19 - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco


Em decreto publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (17), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, prorrogou o estado de calamidade pública no Estado em razão da pandemia de Covid-19. A medida vale por 180 dias, contados a partir da data de publicação.

Em 20 de março, oito dias após as primeiras confirmações de casos da doença causada pelo novo coronavírus no Estado, o governo havia publicado decreto com a implantação da calamidade pública. O texto tinha prazo de 180 dias e expirou nessa quarta-feira (16).

O decreto considera que os habitantes dos 184 municípios pernambucanos afetados e do distrito estadual de Fernando de Noronha ainda não têm "condições sanitárias de superar os danos e prejuízos provocados" pela pandemia.

Um parecer técnico elaborado pela Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), datado de 10 de setembro, baseou o novo decreto. O decreto ainda considera a manutenção, em todo território nacional, do "elevado índice de contaminação pelo coronavírus", o que faz permanecer os "efeitos devastadores na vida da pessoas".

Os órgãos estaduais seguem orientados a adotar as medidas necessárias para combater o estado de calamidade pública em conjunto com os órgãos municipais. A situação de calamidade facilita a adoção de medidas de prevenção e combate à doença.

Coronavírus em Pernambuco

Segundo o último balanço da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), divulgado nessa quarta-feira (16), Pernambuco contabiliza 138.568 casos confirmados da Covid-19 - sendo 699 no último informe. O Estado soma ainda 7.933 mortes, das quais 19 confirmadas na quarta.

Pernambuco ainda ultrapassou a marca dos 120 mil pacientes infectados pela Covid-19 e recuperados clinicamente. São ao todo 120.068 curados, com 514 contabilizados na quarta.

Por: Folha de Pernambuco.

Primeira etapa do Programa de Aceleração de empresas será voltado para indústria de eletroeletrônicos e tecnologias afins



No Parque Tecnológico de Eletroeletrônicos e Tecnologias Associadas de Pernambuco (Parqtel), no Curado, órgão ligado à secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), o secretário de CT&I, Lucas Ramos, recebeu o novo superintendente do Banco do Nordeste (BNB) em Pernambuco, Pedro Ermírio de Almeida, nesta quarta-feira (16), para uma apresentação sobre o funcionamento do órgão, e também apresentou o Programa PRODUZ.AI que, em breve, será lançado pela Secti junto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC). No primeiro momento, funcionará no Parqtel. Em seguida, será ampliado para outros setores produtivos. Na ocasião, também esteve presente o secretário estadual da SDEC, Bruno Schwambach, além do presidente da Associação de Empresas do Parqtel, Gilson de Miranda Freire, da presidente da Associação de Empresas Pernambuco-Paraíba, Margarete Bezerra Cavalcanti, e do presidente da ADDIPER, Roberto Abreu e Lima.

O Parqtel está alinhado à Estratégia de CT&I de Pernambuco e faz parte da integração dos ambientes de inovação. O órgão passou por um reposicionamento de requalificação física do Centro de Manufatura Avançada (CMA), laboratórios de Pesquisa e Inovação em Manufatura Avançada (LMA), Incubadora Parqtel de Projetos de Inovação Tecnológica (IMBARCATEL), Apoio à Implantação do Instituto de Inovação Tecnológica da UPE e Legislação de suporte à instituição do PARQTEL, de acordo com o decreto nº 46.901.

“O Parqtel, juntamente com o Porto Digital, AD. Diper, Suape, MPPE, apoia programas de inovação, por meio da Secti. Atualmente, além de possuir um modelo inovador de suporte ao desenvolvimento de novos produtos e processos, o órgão é apoiado pela Facepe com a integração de profissionais técnicos nos incubados”, explicou Carmelo Bastos, que recentemente deixou o cargo de cientista chefe do Parqtel para assumir como Diretor de Ambientes de Inovação e Formação Superior da Secti. Segundo ele, oito empresas estão instaladas no órgão. São elas: Compesa, Connecton, Salvus, Senfio, ETCbio, Idea, Neurobots, Cgti.

O Programa PRODUZ.AI terá como objetivo a aceleração de negócios industriais com uma estrutura integrada ao CMA. A ideia é que ele consiga gerar oportunidades de negócios e a produção e amadurecimento de novas tecnologias nas linhas de produção beneficiando os setores de metalmecânica, packing, geração de energia, eletrônica, construção civil e polímeros e filamentos. Os resultados serão reinvestidos em ações de modernização e operação no que se refere ao pessoal, manutenção e infraestrutura.

“É visível que o uso da infraestrutura compartilhada é ideal para o desenvolvimento das startups. E, para o desenvolvimento do Programa PRODUZ.AI, a ideia é fazer um segundo módulo, ou seja, um novo galpão dentro do Parqtel para que a gente possa oferecer uma infraestrutura para que as empresas possam se desenvolver com atratividade e novos equipamentos. Esse é o papel do Estado, fomentar a inovação em ambiente gerenciado pela Associação de Empresas do Parqtel, cuja receita servirá, em futuro próximo, para manter em ordem a Infraestrurura”, disse o secretário de CT&I, Lucas Ramos, ao destacar que essa receita pode ser gerada tanto na participação de uma venda ou arrendamento de área, quanto na locação de hora-máquina para prototipação, até mesmo em consultoria às empresas do setor produtivo.

Segundo ele, o modelo do Programa permitirá ao Governo do Estado buscar novos projetos de inovação. “Para isso, é nosso papel a articulação para oferecer condições e oportunidades para identificar a necessidade dos setores produtivos, e junto da Academia, a partir da produção científica, apresentar soluções inovadoras”, pontuou Lucas Ramos, ao destacar que o modelo de gestão do Parqtel pode ser reproduzido em todas as regiões de desenvolvimento de Pernambuco.

Parqtel – Ocupando uma área de 43 hectares em Recife, próximo a BR 232, ao TIP, as principais instituições de ciência e tecnologia (Cetene, UFPE, IFPE, Itep, Inmetro) e a BR 408, o Parque Tecnológico de Eletroeletrônicos e Tecnologias Associadas – Parqtel é uma iniciativa do Governo do Estado de Pernambuco com objetivo de concentrar inovação para catalisar relações entre os atores do Sistema Local de Inovação, conectando competências, fazendo parcerias com entidades globais e atraindo Centros de PD&I de empresas, e mantendo uma visão permanente das tendências futuras, a fim de contribuir para o incremento da competitividade do Estado nos setores a ele relacionado.





A faixa etária dos participantes do teste foi ampliada e pessoas com mais de 69 anos também farão parte dos ensaios clínicos


© iStock (Foto ilustrativa)


A vacina de Oxford será testada em mais pessoas aqui no Brasil. Isso porque a Anvisa, a Agência de Vigilância Sanitária autorizou ampliar o número de voluntários. Com isso, o total de participantes que vão receber as doses experimentais da vacina contra o novo coronavírus passou de 5 para 10 mil pessoas.

A faixa etária dos participantes do teste também foi ampliada e agora, pessoas com mais de 69 anos também farão parte dos ensaios clínicos.

A produção da vacina é uma parceria entre a universidade britânica Oxford, e daí vem o nome dela, com a gigante farmacêutica, também britânica, AstraZeneca.

Além do acordo para compra e fabricação do imunizante no país, o Brasil é uma das nações onde os testes estão sendo realizados. A instituição responsável por conduzir as análises em voluntários brasileiros é a Unifesp, a Universidade Federal de São Paulo.

Até o momento, os testes eram realizados em São Paulo, no Rio de Janeiro e na Bahia. Com a ampliação do número de participantes, o imunizante será testado também no Rio Grande do Sul e no Rio Grande do Norte.

Existe um acordo do governo federal para a aquisição de insumos para a produção da vacina aqui no Brasil. A ideia é adquirir princípios ativos para 30 milhões de doses até o início do ano que vem e depois, por meio de transferência de tecnologia, ter a produção de mais de 70 milhões de unidades da vacina em 2021, conduzidas pela Fundação Oswaldo Cruz.

É importante lembrar que há uma semana o laboratório AstraZeneca suspendeu os testes com a vacina, em razão de reações adversas em um voluntário na Inglaterra. No último sábado (12), no entanto, a Autoridade Sanitária do Reino Unido autorizou a retomada dos testes e nessa terça-feira o estudo recomeçou também no Brasil.

Por: Notícias ao Minuto.

A oficialização de Pazuello no cargo ocorre após mais de três meses de o militar estar ocupando a posição como interino

© Reuters

O presidente Jair Bolsonaro deve efetivar o general Eduardo Pazuello como ministro da Saúde nesta quarta-feira (16) às 17h no Palácio do Planalto. A oficialização de Pazuello no cargo ocorre após mais de três meses de o militar estar ocupando a posição como interino. O evento não consta da agenda oficial de Bolsonaro, mas está incluído entre os compromissos oficiais de Pazuello e outros ministros nesta quarta-feira.

O presidente também tem hoje reuniões individuais previstas com os ministros Braga Netto, da Casa Civil, e Onyx Lorenzoni, da Cidadania, além de um almoço com o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), que é membro da bancada evangélica do Congresso. À tarde, Bolsonaro se encontra com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Nesta quarta-feira, na saída do Palácio da Alvorada, como de costume, o presidente parou para cumprimentar apoiadores. Na conversa, ele voltou a comentar a alta no preço do arroz e citou que o preço do ovo também aumentou. "Aumentou o preço do ovo também. É a lei da oferta e da procura. É igual o arroz, a partir de dezembro começa uma coleta grande de arroz e aí normaliza o preço", disse.

Em seguida, o mandatário reforçou o seu posicionamento de não interferência no mercado. "Não posso é começar a interferir no mercado. Se interferir, o material sobra na prateleira, isso que é pior", afirmou. Ao final, Bolsonaro também comentou brevemente a possível sanção da proposta que aumenta a pena para quem praticar maus-tratos contra cães e gatos, aprovada pelo Congresso. "Semana que vem, está prevista a decisão sobre esse caso."

Por: Notícias ao Minuto.

O número de financiamentos oferecidos, prazos e procedimentos para inscrição dos candidatos ainda serão anunciados pelo MEC


© Shutterstock


O Ministério da Educação (MEC) publicou hoje (16), no Diário Oficial da União, as regras para a ocupação de vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para o segundo semestre de 2020. O número de financiamentos oferecidos, prazos e procedimentos para inscrição dos candidatos ainda serão anunciados pelo MEC.

No mês passado, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, adiantou que serão 50 mil vagas remanescentes para o Fies. As vagas remanescentes são aquelas que não foram ocupadas no decorrer do processo seletivo regular, por desistência dos candidatos pré-selecionados ou falta de documentação na contratação do financiamento, por exemplo.

Quando estiverem abertas, as inscrições serão realizadas por meio da página do Fies, onde os estudantes também poderão conferir o cronograma do processo seletivo.

O Fies é o programa do governo federal que tem o objetivo de facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas. Criado em 1999, o programa é ofertado em duas modalidades, desde 2018, por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e do Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies).

O primeiro é operado pelo governo federal, sem incidência de juros, para estudantes que têm renda familiar de até três salários mínimos por pessoa; o percentual máximo do valor do curso financiado é definido de acordo com a renda familiar e os encargos educacionais cobrados pelas instituições de ensino. Já o P-Fies funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes, o que implica cobrança de juros.

Por: Notícias ao Minuto.

Com o inverno e a temporada de gripe sazonal, a situação pode ficar mais complexa, aponta a entidade.


© Reuters


O comando da Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou nesta quarta-feira, 16, para uma "tendência preocupante" de aumento nos casos da covid-19 em vários países pelo mundo. Durante sessão de perguntas e respostas, a líder da resposta da OMS à pandemia, Maria Van Kerkhove, afirmou que há um aumento "não apenas nos casos, mas também nas hospitalizações" pela doença.

Kerkhove disse que isso é motivo de preocupação para a OMS, já que ele ocorre por exemplo em alguns países do Hemisfério Norte em que o inverno ainda não começou. Com o inverno e a temporada de gripe sazonal, a situação pode ficar mais complexa, aponta a entidade.

Diretor executivo da OMS, Michael Ryan disse que a entidade quer o trabalho de todos para o vírus não manter esse "impulso" atual, ressaltando a importância de se diminuir o número de transmissões. Durante o evento, Ryan também disse que existe agora a perspectiva de haver uma vacina "segura a eficaz" para a covid-19, mas que por enquanto é crucial a manutenção das medidas já sabidas para conter os casos, como a lavagem de mãos, uso de máscaras e distanciamento físico.

Maria Van Kerkhove comentou ainda que há uma tendência de aumento nos casos entre pessoas mais jovens. Ela lembrou que os cientistas ainda não têm tantas informações sobre os efeitos de longo prazo que, em alguns casos, aparecem mesmo em pessoas com versões leves da doença.

Por: Notícias ao Minuto.

 


A Pepili, Cabanas e Pijamas é uma empresa especializada em promover festas infantis com temas variados que contemplem a noite do pijama.

Com sede em Surubim, a Pepili surgiu a partir de uma ideia da empresária Penélope Cavalcanti Guerra quando sua filha pequena queria muito a festa da noite do pijama E aí Penélope procurou ter umas cabanas próprias. A partir de um repasse de uma prima, adquiriu as cabanas para promover festinhas infantis.

Para comemorar o aniversário, a criança escolhe o tema e faz os kits de forma variada. Pode ser com pipoca, discoteca, cineminha, ou outras brincadeiras. “Então a criança faz a listinha apenas para outras crianças mais próximas dela”, explica a empresária. Os amigos dos primos e de outros amigos não são convidados como nas festas tradicionais. Geralmente as festas dão em torno de 12 crianças. Cada cabana comporta de duas a três crianças, dependendo do tamanho. Em geral duas crianças podem dormir confortavelmente na mesma cabana.

As cabaninhas são compostas de lençol, travesseiro, almofadas. “Coloco o cordãozinho de luz, e temos também o jogo de luz da discoteca. São vários kits, de acordo com a escolha da criança e dos pais. E aí inserimos os kits que ela quer. A festa fica muito mais em conta. É uma festa de criança em que ela realmente curte, enquanto que no modelo tradicional há muito compromisso com fotos e outras situações e a criança não curte a festa direito. Tenho depoimento de criança que diz que a melhor festa da vida dela foi a das cabanas. E realmente é o momento dela, o espaço totalmente dela”, destaca.

A Pepili promove a festa, providencia os kits e terceiriza o comes e bebes. A responsabilidade de servir fica por conta da empresa ou da família, de acordo com o que ficar acertado. A mãe do aniversariante fica responsável pelas crianças convidadas. No outro dia elas tomam café da manhã e vão embora. “É uma noite muito diferente, que marca, de fato, a vida de uma criança.

A Pepili atende Surubim e adjacências. O aluguel de cada cabana custa em torno de R$ 75,00. Os outros kits são por fora. A empresa tem kits com escova de dente, acessórios de dormir, toalhinha; tudo personalizado. “Temos pijaminhas também, com o nome do aniversariante”. A festa vai até a madrugada e termina quando as próprias crianças não aguentam mais brincar.










Maior produtor mundial de vacinas estima que sejam necessários 15 mil milhões de doses da vacina contra a Covid-19.


© DR

O presidente-executivo do instituto que é maior produtor mundial de vacina, o indiano Serum Institute of India, disse que não vai haver vacinas para imunizar toda a gente à escala global antes de 2024. Em entrevista ao Financial Times, Adar Poonawalla explicou que as empresas farmacêuticas não conseguem produzir com a rapidez necessária, sobretudo se a vacina consistir em duas doses por doente.

"Vai demorar quatro ou cinco anos até que toda a gente tenha acesso à vacina, a nível planetário", disse o responsável.

Assumindo que a vacina seja de duas doses, como é comum noutras doenças, Poonawalla estima que sejam necessárias 15 mil milhões de doses para inoculação global.

A instituição indiana tem parcerias com cinco grandes farmacêuticas, incluindo a AstraZeneca, que está testando a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford. Recorde-se que a universidade e a farmacêutica já retomaram os ensaios clínicos da vacina, após terem sido interrompidos depois de um voluntário do Reino Unido ter sofrido uma reação adversa.

Num comunicado divulgado no fim de semana, a Universidade de Oxford indicou que as provas da vacina, denominada ChAdOx1 nCoV-19, foram colocadas em pausa no passado dia 6 de setembro, como medida de precaução. Esta possível vacina, considerada uma das mais avançadas das que se desenvolveram em todo o mundo, está na fase final dos ensaios clínicos.

Por: Notícias ao Minuto.

 


A empresária Penélope Cavalcanti Guerra é bacharel em Direito, mas sempre teve preferência pelo mundo da moda, por vestir pessoas. “Eu adoro vestir as pessoas e tinha um sonho de montar um brechó. Tinha muita roupa em casa e às vezes doava, mas a gente sabe que as roupas precisam ficar bem em quem veste”, diz.



O talento foi logo percebido pelo pai de Penélope, o Cirurgião Dentista Hélio Guerra (In memoriam). A mãe da empresária, a advogada Nelma Cavalcanti, sempre estimulou a filha a seguir a carreira do Direito e Penélope sempre teve prazer em fazer os cursos, mas a paixão por “colocar roupas em pessoas” era maior.

A princípio ela trabalhou com um primo em uma loja de roupas. Depois seguiu com os planos de montar o próprio negócio e a partir do desejo de muitas mulheres de se desapegarem das peças de seus guarda-roupas, ela resolveu montar o Brechó.

Foi aí que surgiu o Red Rose Retrô. O nome significa “Rosa Vermelha” e “retrô porque são peças vintage de 20 anos mais ou menos”, explica a empresária. “O nome veio depois do falecimento do meu pai, que foi um homem romântico que sempre no Dia das Mulheres doava rosas vermelhas para as mulheres da família”, conta.

Penélope faz questão de frisar que brechó é pra quem tem classe, personalidade e bom gosto. É a escolha de ser feliz. Aqui você tem que vestir uma roupa que seja seu estilo”. Ela explica que muita gente tem uma peça de roupa que não cabe mais em si. “Aquela peça não tem mais que ser sua, agora ela precisa prolongar a própria história no corpo de outra pessoa. As peças têm sentimento”, acredita.

Qualquer cliente pode levar a peça pra Red Rose Retrô e negociar. Se quiser a pessoa pode deixar a peça na loja apenas para alugar, porque não quer se desligar totalmente. Em outros casos, a pessoa quer vender. Em ambos os casos o valor da peça é dividido entre o cliente e a loja.

A loja não compra roupas. No entanto, tem todo tipo de vestuário de excelente qualidade. Tudo passa por uma avaliação. “São roupas de marca, algumas não são de marca são autorais, mas o modelo diferente, o tecido diferente. Eu tenho, inclusive, roupas dos EUA, da França, muita coisa que não se encontra facilmente. Além da parte de vendas, tenho a parte de aluguel de roupas de festas, 15 anos, fantasias, roupas juninas, bijuteria, sapatos, óculos”, diz.

Quanto à decoração, Penélope confessa que queria voltar àquela coisa vintage. “É um brechó, que é diferente do bazar. O brechó é trabalhar com roupas usadas e o bazar é focado na questão beneficente. As pessoas têm que entender que as roupas usadas não é roupa velha. A decoração busquei essa coisa retrô dos anos 1970, fui pesquisar. Eu trouxe a história aqui pra dentro. Aquela roupa fez parte da minha história e vai fazer parte da vida de outra pessoa. O que me deixa maravilhada é isso. Se você quiser ela não morre”, conclui.


















O município de Surubim comemora hoje (11/09), 92 anos de Emancipação Política. Para celebrar a data, a Prefeitura providenciou uma alvorada matinal com fogos de artifício. Essa é a primeira na história da cidade em que não ocorrerá o desfile cívico, devido o cumprimento das regras de distanciamento social por causa da pandemia do novo coronavírus.

Diversas entidades e personalidades locais estão prestando sua homenagem ao município pela passagem de sua autonomia político-econômica. A Prefeitura Municipal de Surubim, o Colégio Nossa Senhora do Amparo e a Rádio Integração FM e o surubinense Bennê Torres com a música "Filho de Surubim", estão entre os que divulgaram suas mensagens através de vídeos ou notas.

Surubim tem a maior e mais antiga vaquejada do Brasil, além do maior carnaval do interior pernambucano e umas das maiores feiras livres do Nordeste brasileiro. O município tornou-se autônomo através da Lei Estadual nº. 1.931 em 11 de setembro de 1928.

História

Em 11 de setembro de 1928 Surubim foi desmembrado do município do Bom Jardim. Sua origem está ligada à pecuária e à agricultura, atividades que são responsáveis pela ocupação do Brasil.

A atividade pecuária surgiu na época do governo de Tomé de Sousa que trouxe algumas cabeças de gado na sua frota e depois ordenou que trouxessem outras oriundas de Cabo Verde, trocadas por madeira da terra que valia muito naquela ilha.

Do litoral a criação de gado se expandiu para o interior de Pernambuco ao mesmo tempo em que a pecuária contribuiu para que surgissem as primeiras povoações. Com o passar dos tempos, nas terras do Bom Jardim, os espaços foram sendo ocupados pela criação de gado.

O nome Surubim, segundo a lenda, vem das terras de Lourenço Ramos da Costa, um português que se instalou por essas plagas, criando gado manso na sua fazenda. Em meio ao rebanho, um boi majestoso, por ser malhado, igual ao peixe, recebeu o nome de Surubim.

Um dia, o boi Surubim foi devorado por uma onça. Lamento geral. Indignação. Agora, o nome do boi era um referencial.

- Vou para as terras do boi Surubim... Para Surubim. Lourenço Ramos da Costa era um homem religioso. E, assim o nome foi se fixando na memória do povo. O lugar ficou conhecido por Surubim. Uma casa de morada, uma casa de oração, uma fazenda, uma povoação. Em 1864, foi erguida uma casa de oração. Nela, o padre português Antônio Alves da Silva, capelão da vila de Mata Virgem, celebrava missa esporadicamente.

Em torno dessa casa de oração, teve início o povoamento do local que mais tarde sitiaria a cidade de Surubim.

A Lei Municipal nº 03, de 27 de abril de 1893, criou o Distrito de Surubim, cuja sede foi elevada a categoria de vila por efeito da Lei Estadual nº 991, de 01 de julho de 1909. Na divisão administrativa, em 1911, Surubim figura como distrito do município de Bom Jardim.

O pioneirismo de Lourenço Ramos da Costa e Dídimo Carneiro transformou sonhos na realidade dos tempos atuais. Em 11 de setembro de 1928, por força da Lei Estadual nº 1.931, foi criado o município de Surubim, com território desmembrado do município de Bom Jardim, tendo a sede municipal recebido foros de cidade. A instalação da nova comuna verificou-se a 1 de janeiro de 1929. Sua visão administrativa foi decisiva para o município que nascia vocacionado para o desenvolvimento.

(Fonte: Surubim, a história de todos os tempos – Professor Luiz Antonio Medeiros)



 




 Esquema criminoso usava conta de "laranja" para movimentar o dinheiro


Prefeito de Agrestina, Thiago Nunes, e o vice, Zito da Barra - Foto: Divulgação/Prefeitura de Agrestina


O prefeito de Agrestina, Thiago Nunes, e o vice, Zito da Barra, foram presos pela terceira fase da Operação Pescaria, deflagrada pela Polícia Federal, nesta quinta-feira (10), em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU). Ao todo, foram expedidos cinco mandados de prisão - além do prefeito e do vice, também foram presos um funcionário da prefeitura e dois empresários, que não tiveram os nomes revelados pela polícia.

A operação investiga desvios de recursos públicos na prefeitura da cidade do Agreste de Pernambuco. De acordo com as investigações, as vantagens ilícitas teriam sido obtidas através da contratação de uma empresa de fachada de forma fraudulenta, com recursos federais.

O caráter competitivo do processo licitatório era então frustrado e os contratos eram executados por meio de terceiros desqualificados, segundo comunicado oficial da Polícia Federal. Além dos presos, a operação cumpre 13 mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais de pessoas ligadas ao esquema criminoso.

Mandados de afastamento de funções públicas de servidores municipais de Agrestina também foram expedidos, assim como mandados de abertura de sigilos bancários e fiscal dos investigados. Todas as ordens judiciais foram expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

O prefeito Thiago Nunes foi levado à Delegacia de Polícia Federal de Caruaru, também no Agreste. Na casa de um dos suspeitos alvos de busca e apreensão, os policiais encontraram R$ 110 mil em espécie e R$ 100 mil em folhas de cheque em um cofre.

A investigação que culminou com a deflagração da terceira fase da Operação Pescaria mira a lavagem dos lucros ilicitamente auferidos pela organização criminosa. A quadrilha usava conta bancária ligada a um "laranja" vinculado ao grupo.

Segundo a polícia, a conta bancária servia aos investigados para o recebimento de transferências bancárias e depósitos em espécie. A maioria dos depósitos eram feitos em valores baixos e sem a identificação da origem, realização de saques de valores vultuosos, bem como, também, para a utilização de cheques assinados em branco, tudo com o propósito de dificultar a identificação da origem criminosa do dinheiro.

As outras fases foram deflagradas em 21 de fevereiro e em 28 de março do ano passado. Os crimes investigados nesta terceira fase da operação são de organização criminosa, peculato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Agrestina para saber o posicionamento da gestão sobre a prisão do prefeito e do vice-prefeito e aguarda retorno para a atualização do texto.

Por: Folha de Pernambuco.

Ato chama atenção para a quebra do Acordo Coletivo de Trabalho, estopim para a greve deflagrada em agosto


Ato público dos Correios na Praça do Derby, área central do Recife - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco


Com greve deflagrada desde o dia 17 de agosto, funcionários dos Correios se concentraram, na manhã desta quinta-feira (10), na Praça do Derby, no Recife, para realizar um ato público com o intuito de chamar a atenção para a quebra do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que teria validade até 2021 e que originou a greve.

O Secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos em Pernambuco (Sintect-PE), Alisson Tenório, lembrou que, no período da tarde, às 15h, haverá uma audiência de conciliação entre os trabalhadores dos Correios e a direção da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), marcada pela ministra do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Kátia Arruda. "É importante estarmos atentos ao que acontece e em todas as decisões e reuniões. Muitos dos nosso direitos estão ameaçados, então, mais do nunca, é primordial que mostremos nossa unidade enquanto classe para que possamos ser mais fortes", afirmou Alisson.

Alisson destacou ainda que a suspensão do acordo pretende acabar com 70 das 79 cláusulas existentes no ACT. "Essa luta é acima de tudo contra a privatização da empresa, que é bastante lucrativa para os cofres públicos. Porém, com o sucateamento, fica fácil vender a imagem de uma empresa quebrada", pontuou.  De acordo com o Sintect-PE, a greve é nacional tem a adesão de mais de 80% dos funcionários.

O secretário-geral também informou que a assembleia dos funcionários votou para a continuidade da greve até a resolução do problema. "Antes, o general Floriano Peixoto disse que não haveria nenhum tipo de negociação. Após a pressão da greve, ele já recuou. Portanto, vamos continuar com o movimento para que nenhum dos nossos direitos sejam retirados", finalizou.

A Central sindical e popular esteve presente. De acordo com o órgão, é imprescindível que as demais centrais sindicais se aliem às trabalhadoras e trabalhadores dos Correios para que a luta seja fortalecida.

Após o ato, os funcionários presentes no ato caminharam até a frente o Hemope, onde realizaram uma campanha para doação de sangue. O grupo também tem realizado campanhas de arrecadação de alimentos, doação de álcool e máscaras para a população.

Por: Folha de Pernambuco.

 Os planos suspensos são de duas operadoras


Arquivo/Agência Brasil.


Entrou em vigor hoje (10) a suspensão da comercialização de 11 planos de saúde anunciada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) no dia 3 de setembro. Os planos listados não poderão ser comercializados para novos clientes e precisam demonstrar melhora nos resultados ao longo de um período de monitoramento de um trimestre.

Os 11 planos suspensos são de duas operadoras, sendo que oito pertencem à operadora Unimed Norte-Nordeste e os outros três são da Unimed de Manaus.

A suspensão de novas vendas se deu devido a reclamações relacionadas à cobertura assistencial. Com a medida, segundo a ANS, os 25.722 usuários atuais desses planos ficam protegidos.

Em relação ao impedimento de receber novos beneficiários, as únicas exceções são novo cônjuge ou filho de beneficiário e ex-empregados demitidos ou aposentados. 

Reclamações

As reclamações consideradas no monitoramento da ANS tratam do descumprimento dos prazos máximos para realização de consultas, exames e cirurgias ou da negativa de cobertura assistencial.

Quando a comercialização de um plano de saúde é suspensa, a operadora também não pode registrar um novo plano que seja análogo a ele.

Na época em que tiveram suas suspensões anunciadas, a Unimed Norte-Nordeste e a Unimed Manaus foram procuradas pela Agência Brasil. Em nota, a Unimed Norte-Nordeste disse que trabalha para melhorar serviços e que a prestação de serviços médico-hospitalares permanece inalterada e sem qualquer problema ou anormalidade.

"A suspensão da comercialização de alguns produtos não interfere no atendimento aos clientes de contratos vigentes", disse a operadora na nota.

Já a Unimed de Manaus não retornou aos contatos no dia 3 de setembro.

Por: Agência Brasil.

 A ministra Rosa Weber assume a vice-presidência


Marcelo Camargo / Agência Brasil.




O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), toma posse hoje (10) como presidente da Corte por um mandato de dois anos, durante o qual desempenhará o papel de chefe do Poder Judiciário. A ministra Rosa Weber assumirá a vice-presidência.

A solenidade de posse está marcada para as 16h, na sede do Supremo, em Brasília. Está previsto o comparecimento do presidente Jair Bolsonaro e dos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), entre outras autoridades. O ato será transmitido ao vivo pela TV Justiça.

Devido à pandemia de covid-19, a cerimônia no plenário será restrita a poucos convidados. Apenas 50 cadeiras estarão disponíveis para utilização. Além de autoridades, poucos familiares de Fux e Weber devem estar presentes no local. Todos devem ter a temperatura aferida na entrada, e o uso de máscaras será obrigatório.

Outras medidas de precaução foram tomadas, seguindo recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), de acordo com o STF. Divisórias de acrílico foram instaladas na bancada de ministros e na mesa de honra, de modo a criar células individuais, por exemplo.

Fux e Weber foram eleitos em junho pelos demais ministros do Supremo. A votação seguiu a tradição de eleger como presidente sempre o integrante mais antigo da Corte que ainda não tenha assumido o comando do tribunal.

Ao assumir a presidência, Fux deixa a Primeira Turma do Supremo. A vaga no colegiado, em que são julgadas ações penais contra parlamentares, por exemplo, será ocupada por Dias Toffoli, que encerra nesta quinta-feira seu biênio como presidente do Supremo.

Perfil

Nascido em 1953 no Rio de Janeiro, Fux formou-se em direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) em 1976. Dois anos depois, passou a atuar como promotor de Justiça. Em 1983, ele ingressou na magistratura ao passar em primeiro lugar no concurso para juiz estadual.

Fux atuou também como juiz eleitoral, antes de ser nomeado desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), em 1997. Tornou-se ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em 2001, por indicação do então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Ele assumiu uma das 11 cadeiras no Supremo Tribunal Federal (STF) em março de 2011, após ser indicado pela então presidente Dilma Rousseff na vaga deixada por Eros Grau, que se aposentara.

Ao longo da carreira, sobretudo nos dez anos em que esteve no STJ, Fux notabilizou-se pela especialização em direito civil, tendo coordenado o grupo de trabalho do Congresso que resultou na reforma do Código de Processo Civil (CPC), sancionada em 2015. Na área penal, em julgamentos da Lava Jato, Fux costuma votar mais alinhado às posições do Ministério Público.

Por: Agência Brasil.

Redução está restrita a 400 mil toneladas de arroz beneficiado


Antonio Cruz/ABr.


A Câmara de Comércio Exterior (Camex), vinculada ao Ministério da Economia, decidiu nesta quarta-feira (9) zerar a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado. A isenção tarifária valerá até 31 de dezembro deste ano.

De acordo com a pasta, a redução temporária está restrita à cota de 400 mil toneladas, incidente arroz com casca não parboilizado e arroz semibranqueado ou branqueado, não parboilizado, de acordo com a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM). Até então, a Tarifa Externa Comum (TEC) incidente sobre o produto era de 12%, para o arroz beneficiado, e 10% para o arroz em casca.

A decisão foi tomada durante reunião do Comitê-Executivo de Gestão da Camex, a partir de um pedido formulado pelo Ministério da Agricultura. O colegiado é integrado pela Presidência da República e pelos ministérios da Economia, das Relações Exteriores e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Alta nos preços

O objetivo da isenção tarifária temporária é conter o aumento expressivo no preço do arroz ao longo dos últimos meses. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea/USP), o preço do arroz variou mais de 107% nos últimos 12 meses, com o valor da saca de 50 kg próximo de R$ 100. Os motivos para a alta são uma combinação da valorização do dólar frente ao real, o aumento da exportação e a queda na safra. Em alguns supermercados, o produto, que custava cerca de R$ 15, no pacote de 5 kg, está sendo vendido por até R$ 40.

Por: Agência Brasil.

 Projeto segue para análise da Câmara


Arquivo/Jane de Araújo/ Agência Senado.


O Senado aprovou hoje (9) um projeto de lei (PL) que amplia o prazo para os estados e município utilizarem recursos repassados pela União para combate da crise desencadeada pela pandemia da covid-19. De acordo com o projeto, governadores e prefeitos poderão utilizar os recursos até 31 de dezembro de 2021. Agora, a proposta vai à Câmara dos Deputados.

Os recursos são oriundos de créditos extraordinários, liberados por medidas provisórias. Atualmente, esses créditos precisam ser utilizados até o final do ano, quando termina o Estado de Calamidade Pública decretado no país. O projeto, de autoria da senadora Simone Tebet (MDB-MS), confere mais tempo para uso desse dinheiro para combater as consequências da crise.

“O objetivo é preservar a execução de gastos de R$ 28 bilhões e R$ 61 milhões nas áreas da saúde e da assistência social, respectivamente. Trata-se tão somente de evitar que esses recursos sejam devolvidos ao governo federal enquanto persistir a pandemia provocada pela covid-19”, disse o relator do projeto, Otto Alencar (PSD-BA).

Alencar incorporou ao projeto uma emenda que inclui também todos os recursos repassados pelo governo federal para combater a crise nas áreas social, econômica e sanitária. Segundo o projeto, a União não poderá solicitar a devolução dos recursos antes desse prazo, a menos que sejam identificados ilícitos na aplicação dos recursos.

Por: Agência Brasil.




No último domingo (06/09), morreu o ex-vereador e ex-jogador Joacir Arruda, conhecido como Cici Arruda. Além de representar o povo surubinense no pode Legislativo Municipal por dois mandatos, ele se destacou como jogador de futebol. Cici tinha 76 anos e sofreu um infarto fulminante. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado, mas ao chegar ao local, o ex-jogador já estava sem vida. 

Seu falecimento deixa uma lacuna na sociedade surubinense devido ao carinho e respeito que todos tinham por ele. Cici Arruda chegou a ser considerado o maior jogador de futebol do município e começou a se destacar ainda adolescente, na década de 1960, quando estudava no Colégio Marista Pio XII.

Em sua trajetória de atleta, atuou com brilhantismo no Independente e na Seleção de Surubim. Depois seguiu carreira em grandes times profissionais do Nordeste a exemplo do Sport Club do Recife, do Santa Cruz e do Vitória da Bahia. 

Diversos amigos se manifestaram pelas redes sociais lamentando o falecimento de Cici. Entre as falas, todos foram unânimes em concordar que o ex-jogador foi “a estrela maior e a mais brilhante do futebol de Surubim”.  Cici chegou a ser cogitado para jogar no Bordeaux da França.

“Além de ser um crack no futebol ele possuía outras qualidades como ser humano. Muito cordial, calmo e amigo. Quando o encontrava tínhamos uma boa conversa. Sempre falava da atencão que dispensava a sua saúde. Que Deus lhe de um bom lugar e muito consolo aos familiares”, disse um dos amigos.

Cici era irmão do ex-prefeito José Arruda e deixa a viúva Rosilda Lucena, duas filhas (Keline e Kassandra) e uma neta. O velório foi realizado na Câmara de Vereadores de Surubim e o sepultamento aconteceu no Cemitério São José.