No Sistema Único de Saúde (SUS), foram fechadas 41.388 vagas



© Photo by rawpixel on Unsplash

O Brasil perdeu, nos últimos dez anos, seis leitos hospitalares por dia. São 23.088 vagas a menos, conforme estudo preparado pela Confederação Nacional dos Municípios e obtido pela reportagem. E mostra o descompasso entre público e privado.

No Sistema Único de Saúde (SUS), foram fechadas 41.388 vagas, 12% do número apresentado em 2008. Já a rede particular apresentou tendência inversa e ampliou a capacidade em 18.300 leitos.

A tendência de redução geral das vagas é explicada por especialistas, em parte, pela mudança no atendimento psiquiátrico. No passado, ele era centrado no ambiente hospitalar e, graças ao movimento antimanicomial, passou a ser feito prioritariamente nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps). "Dos 41 mil leitos fechados na década, 21 mil eram psiquiátricos", afirma a consultora da CMN Carla Albert.

Ela observa, no entanto, que em grande parte das demais especialidades, a redução do atendimento hospitalar está longe de ser um bom sinal. "Muitas vezes, representa falta de recursos e, sobretudo, dificuldade de acesso da população a um atendimento indispensável."

Na Pediatria e Obstetrícia, por exemplo, a oferta de leitos minguou de forma expressiva. No caso de vagas para atendimentos de crianças, a redução de leitos SUS no período entre 2008 e 2018 foi de 26%. Na Obstetrícia, a redução na capacidade de atendimento hospitalar foi de 16,87%. "Em um momento em que o número de nascimentos de bebês prematuros aumenta, é difícil explicar a redução de leitos", afirma Clóvis Constantino, da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Carla lembra que, embora as vagas em Hospital Dia tenham aumentado, elas ainda são pouco expressivas. Em 2018, havia 5.347, ante 4.213 registradas em 2008. "O receio é de que a desativação de leitos tenha ocorrido sem a devida organização da rede ambulatorial. Basta ver as filas que ainda existem para alguns procedimentos."

Para a consultora da Confederação Nacional dos Municípios, parte da desativação dos leitos ocorre não por razões técnicas, mas econômicas. "E isso desorganiza o sistema. Basta ver as ações judiciais para garantir o atendimento."

Além da Psiquiatria, Carla cita que a redução de vagas é justificada no caso da Dermatologia e da Endocrinologia. "Basta ver o atendimento para pessoas com hanseníase. Hoje, é feito exclusivamente em ambiente ambulatorial." Carla questiona, porém, a estagnação das vagas em Cardiologia. Em dez anos, apenas 23 foram abertas.

Justificativas
 

O Ministério da Saúde informou que a tendência mundial é de "desospitalização". "É importante ressaltar que a redução no número de leitos gerais não afetou a oferta assistencial e a produção aprovada nos sistemas de informação do SUS. A quantidade de internações aprovadas no sistema em 2008 foi de 11,1 milhões e em 2017, de 11,6 milhões." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Por: Notícias ao Minuto.

O preço do litro do combustível atingiu maior valor nas refinarias no dia 14 de setembro último, quando a estatal passou a cobrar pelo litro da gasolina R$ 2,2514



© Marcelo Camargo/Agência Brasil


A Petrobras anunciou hoje (19), em sua página na internet, que o preço do litro da gasolina ficará 2% mais barato em média nas refinarias de todo o país a partir de amanhã (20). Com a decisão, valor cairá de R$ 2,1490 – preço que vigorava desde o último dia 12 – para os R$ 2,1060 anunciado pela estatal para vigorar neste sábado.

O preço do litro do combustível atingiu maior valor nas refinarias no dia 14 de setembro último, quando a estatal passou a cobrar pelo litro da gasolina R$ 2,2514, preço que se manteve por 12 dias, até o dia 22 do mesmo mês, portanto por doze dias consecutivos.

A partir de então, o preço do litro da gasolina passou a registrar quedas consecutivas. No dia 25 de setembro, a estatal reduziu o preço do litro do produto para R$ 2,2381, mantendo desde então uma tendência de queda no preço do litro da gasolina.

A última movimentação no preço do produto se deu no último dia 12 de outubro, quando o preço médio do litro nas refinarias passou a custar R$ 2,1490, preço que ficou estável por quatro dias consecutivos até o aumento anunciado hoje e que passará a vigorar a partir de amanhã.

O óleo diesel cobrado nas refinarias está em R$ 2,3606, o litro, desde o dia 30 de setembro, quando foi reajustado. Antes custava R$ 2,2964. Com informações da Agência Brasil.


Por: Notícias ao Minuto.


Ele sugeriu ainda que essas ações possam estar sendo feitas por pessoas de esquerda para prejudicá-lo



Candidato a presidência da república pelo PSL, Jair Bolsonaro
Foto: Mauro Pimentel / AFP

Após reportagem da Folha de S.Paulo mostrar que empresas estão comprando pacotes de mensagens contra o PT, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) disse "não ter controle" sobre o tema. A declaração foi dada ao site O Antagonista.

"Eu não tenho controle se tem empresário simpático a mim fazendo isso. Eu sei que fere a legislação. Mas eu não tenho controle, não tenho como saber e tomar providência", afirmou.

Ele sugeriu ainda que essas ações possam estar sendo feitas por pessoas de esquerda para prejudicá-lo. "Pode ser gente até ligada à esquerda que diz que está comigo para tentar complicar a minha vida me denunciando por abuso de poder econômico", disse ao O Antagonista.

O candidato usou as redes sociais para comentar a matéria da Folha de S.Paulo. Ele chamou os tribunais e a imprensa para "agirem" ao replicar uma postagem feita por Felipe Moura Brasil, do Antagonista, na qual ele acusa Fernando Haddad (PT) de espalhar notícias falsas.

Reportagem da Folha de S.Paulo desta quinta-feira (18) mostrou que empresas estão comprando pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp e preparam uma grande operação na semana anterior ao segundo turno.

Bolsonaro também escreveu que o PT, seu adversário no segundo turno, não é prejudicado por notícias falsas, mas pela verdade. "Roubaram o dinheiro da população, foram presos, afrontaram a Justiça, desrespeitaram as famílias e mergulharam o país na violência e no caos. Os brasileiros sentiram tudo isso na pele, não tem mais como enganá-los!"


Por: Folha de Pernambuco.

Mais de cinco milhões de cartões serão liberados pelo Inep



Os cartões do Enem serão liberados na próxima segunda (22)
Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

Os cartões de confirmação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2018) de mais de 5 milhões de inscritos serão liberados na próxima segunda-feira (22) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Com o documento que pode ser obtido na página do participante será possível verificar o local onde cada candidato fará as provas.

A recomendação da pasta é que cada estudante conheça o melhor trajeto para chegar ao lugar sem imprevistos. Além do local, o cartão também indica número de inscrição, data e horários das provas, detalhes sobre atendimentos e recursos de acessibilidade – se foi solicitado –, e o idioma estrangeiro escolhido.

A assessoria do Inep afirmou que não há casos de inscritos que não encontram seus cartões ou de informações equivocadas. De acordo com o órgão, os dados preenchidos na inscrição são automaticamente inseridos nessa confirmação. De qualquer maneira, a orientação é que, havendo algum problema, o estudante entre em contato com os canais de atendimento do Ministério da Educação (MEC) pelo telefone 0800616161 ou pelo link Fale Conosco, no site da pasta, para que a demanda seja verificada.

É importante lembrar que o governo decidiu manter o início do horário de verão, que começará no primeiro dia de prova do Enem, 4 de novembro. O MEC recomenda que os estudantes entrem no ritmo do novo horário, dormindo uma hora mais cedo, cerca de uma semana antes, para não serem prejudicados na hora da prova.

As provas serão aplicadas nos dias 4 e 11 de novembro em todo o país. No primeiro dia do exame (4/11), serão aplicadas as provas de linguagem, ciências humanas e redação. A aplicação terá cinco horas e meia de duração. No segundo dia (11/11), haverá provas de ciências da natureza e matemática. Os estudantes terão cinco horas para resolver as questões.


Por: Folha PE.

Nada mais salutar do que brindar a felicidade de escritores amigos. Heitor Bezerra e Telma Brilhante se juntam para lançar duas pérolas da literatura nordestina.

Eles são lá do ICC – Instituto Cultural do Cariri.

Eles vêm lá das terras do querido Ceará, do sertão ao mar, tendo tudo para contar coisas bonitas da inspiração vivida no regionalismo nordestino.

Às 19 horas, na sede da UBE que fica na Rua de Santana, 202, em Casa Forte, ao lado do Parque Santana, no Bairro de Casa Forte.

Heitor vai apresentar o livro de contos Tão Longe, Tão Perto. A sua irmã Telma apresenta a sua nova obra de poesia, o livro Alma Sitiada, com versos sobre as alegrias e as dores da existência humana.

Uma dose dupla de doce literatura regional, para ser saboreada como gosto gostoso do sabor nordestino.


Fico feliz, por esse momento que merece prestígio e aplausos, para uma noite bem marcante para a nossa cultura regional.











Evento acontece no dia 20 de outubro no Centro Cultural dos Correios e visa contribuição política e cultural do estado




A Federação de Teatro de Pernambuco – FETEAPE, a primeira entidade representativa da sociedade civil na área das artes cênicas de Pernambuco, convocou para o próximo sábado (20 de outubro), os grupos filiados, artistas e a sociedade em geral para participar da XIII Congresso Pernambucano de Teatro, a fim de debater temas, propor ideias, fortalecer o movimento cênico do estado, além de contribuir com a politica cultura do estado.

O evento acontecerá no Centro Cultural dos Correios, localizado no Bairro do Recife, das 09 às 18 horas, e entre as atividades propostas estão a Eleição e Posse da Nova Diretoria da FETEAPE, além de outras deliberações. O congresso contara ainda com a realização de intervenções artísticas.

Por: Luiz Pereira Neto.

 

A Quarta Parede Cia. de Teatro, da cidade de Limoeiro, foi destaque mais uma vez no 20º FESTIC - Festival de Esquetes e Teatro Infantil de Caruaru, que ocorreu entre os dias 08 e 14 de outubro de 2018, no Teatro João Lyra Filho, em Caruarua/PE. O espetáculo “Como Salvar um Casamento”, com texto de Bruno Motta e Daniel Alves, e a direção assinada pelo Vitoriense Cleiton Santiago, levou cinco das dez indicações que recebeu: Melhor Sonoplastia (Cleiton Santiago, Elivelton Amorim e o Elenco); Melhor Iluminação (Mauricio Mendes e Cleiton Santiago); Melhor Cenografia (Cleiton Santiago); Melhor Direção (Cleiton Santiago) e Texto Inédito (Bruno Motta e Daniel Alves).

Nesta edição comemorativa de 20 anos do Festival, e de 30 anos da ASSARTIC (Associação dos Artistas de Caruaru), instituição realizadora do festival, o evento homenageou o poeta e ator Enéas Alvarez, que faleceu em 2011, e a professora Aleksandra Duran.

O festival teve recorde de inscrições em 2018, e contou com a participação de espetáculos infantis, nos períodos da manhã e da tarde, e adulto, no período da noite. Serão apresentados nesta edição, 22 atrações, que contou ainda com as oficinas gratuitas de teatro de rua, maquiagem, expressão corporal ou pernas de pau.

O 20º FESTIC tem patrocínio da Prefeitura de Caruaru (Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru), parceria do SATED -PE (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão no Estado de Pernambuco), FETEAPE (Federação de Teatro de PE), Cia Bacurau Cultural e dos “Amigos das Artes”: Colégio Conect, Colégio Cristo Rei e Escola Cândido Portinari.

AS INDICAÇÕES

Mais uma vez o Teatro Limoeirense mostrou sua força e se destacou na região. No último domingo (14) o espetáculo “Como Salvar um Casamento” conquistou 10 Indicações: Melhor Maquiagem com Alex Ferreira; Melhor Figurino com Cleiton Santiago; Melhor Sonoplastia com Elivelton Amorim e Cleiton Santiago; Melhor Iluminação com Maurício Mendes; Melhor Cenografia com Cleiton Santiago; Melhor Atriz com Aline Torres; Melhor Atriz com Ludmylla Rodrigues; Melhor Direção com Cleiton Santiago; Melhor Espetáculo e Melhor Texto com Bruno Motta e Daniel Alves. E na ocasião conquistou 05 Prêmios: Melhor Sonoplastia; Melhor Iluminação; Melhor Cenografia; Melhor Direção e Texto Inédito.

Só para lembrar, ainda no mês de setembro o espetáculo participou da XXI Mostra de Teatro e Dança da Vitória e venceu nas categorias de Melhor Atriz com Aline Torres e Atriz Revelação com Ludmylla Rodrigues. Aos poucos, o espetáculo vem conquistando seu espaço e amadurecendo.

Para nós, estes prêmios são resultados de um comprometimento e de um trabalho em equipe, é o reconhecimento de que através de ensaio, do exercício da cena, e de se aventurar no jogo, um jogo sem medo, onde convidamos o público para serem nossos cúmplices, onde justos podermos fazer o espetáculos. Isso é bom para a gente, é bom para a plateia, é bom para o teatro, é bom para Limoeiro. “Declarou Elivelton Amorim, integrante do grupo”.



Por: Luiz Pereira Neto.
Aprenda a preparar esse doce de um jeito simples embora seu preparo não seja o mais rápido, mais vale a pena.



Ingredientes:


- 20 unidades de caju

- 1 kg de açúcar

- 2 litros de água

- Cravo a gosto


Modo de preparo:



- Retire todas as castanhas do caju e corte a pontinha oposto a castanha.

-Faça vários furos no caju com um garfo e retire toda a água da fruta.

- Coloque em uma panela o açúcar junto com a água e deixe ferver.

- Depois que a água ferver adicione as 20 unidades de caju, o cravo e vá mexendo de vez em quando. Faça esse processo durante 3 h ou até a calda ficar bem vermelhinha e grossa.


Depois é só se deliciar com esse doce super saboroso.


Entre as postagens contestadas estão mensagens de usuários no Facebook que afirmam "Pedofilia é crime diga não ao PT", "Ideologia de gênero nas escolas



© Ricardo Moraes / Reuters

O ministro Luís Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou nesta quarta-feira, 17, um pedido da coligação de Fernando Haddad (PT) para remover imediatamente 123 postagens em redes sociais. A coligação "O Povo Feliz de Novo" (PT/PCdoB/PROS) acionou o TSE sob a alegação de que as publicações veiculam informações "inverídicas, difamatórias e injuriosas" que agridem o Partido dos Trabalhadores.

Entre as postagens contestadas estão mensagens de usuários no Facebook que afirmam "Pedofilia é crime diga não ao PT", "Ideologia de gênero nas escolas. Ninguém nasce menino ou menina. Todo mundo pode ser o que quiser! É isso que Haddad ensina nas escolas. Amanhã pode ser muito tarde!", "PT e Haddad com o kit gay para seus filhos, não vote nele" e "Haddad indica para Ministro da Educação Jean Willis (sic)...pensem direitinho pra depois não ficarem no ouvido da gente reclamando"

 Interferência 

Em sua decisão, Salomão observou que a atuação da Justiça Eleitoral "em relação a conteúdos divulgados na Internet deve ser realizada com a menor interferência possível", assegurando aos usuários da internet o exercício da liberdade de pensamento e expressão.

"Em juízo preliminar, não obstante encontradas publicações que apresentam realmente teor ofensivo ou negativo, é forçoso reconhecer que exteriorizam o pensamento crítico dos usuários das plataformas de rede sociais ora impugnadas, de modo que a liberdade de expressão no campo político-eleitoral abrange não só manifestações, opiniões e ideias majoritárias, socialmente aceitas, elogiosas, concordantes ou neutras, mas também aquelas minoritárias, contrárias às crenças estabelecidas, discordantes, críticas e incômodas", afirmou Salomão.

"O controle sobre quais conteúdos ou nível das críticas veiculadas, se aceitáveis ou não, deve ser realizado pela própria sociedade civil, porquanto a atuação da Justiça Eleitoral no âmbito da Internet e redes sociais, ainda que envolva a honra e reputação dos políticos e candidatos, deve ser minimalista, sob pena de silenciar o discurso dos cidadãos comuns no debate democrático", concluiu Salomão.

O ministro ainda destacou que a própria coligação e os demais usuários da internet podem usar o espaço de comentário nas redes sociais para rebater as acusações e alertar para a falsidade das informações.


Por: Notícias ao Minuto.

Desse total, 1.776 casos foram identificados no Amazonas e 330 em Roraima



© RomoloTavani/iStock

Até o dia 15 de outubro, 2.192 casos confirmados de sarampo foram registrados no Brasil, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (17) pelo Ministério da Saúde. Desse total, 1.776 casos foram identificados no Amazonas e 330 em Roraima. Juntos, os estados contabilizam ainda 7.894 casos em investigação. As informações são da Agência Brasil.

Casos isolados de sarampo, segundo a pasta, foram registrados em São Paulo (3), no Rio de Janeiro (18), no Rio Grande do Sul (37), em Rondônia (2), em Pernambuco (4), no Pará (17), no Distrito Federal (1) e em Sergipe (4).

Ainda de acordo com o ministério, até o momento, 12 mortes pela doença foram confirmadas no país, sendo quatro em Roraima, seis no Amazonas e duas no Pará.

Imunização


O Ministério da Saúde informou que, de janeiro a outubro deste ano, enviou um quantitativo de 13,2 milhões de doses da vacina tríplice viral -que previne contra o sarampo, a caxumba e a rubéola- para Rondônia, Amazonas, Roraima, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Sergipe, além do Distrito Federal.

O objetivo, segundo a pasta, é atender a demanda dos serviços de rotina e a realização de ações de bloqueio, intensificação e campanha de vacinação para prevenção de novos casos de sarampo.

Por meio de nota, o ministério informou que todos as unidades federativas, com exceção do Distrito Federal, alcançaram a meta de 95% de cobertura vacinal contra a doença. Com informações da Folhapress.


Por: Notícias ao Minuto.

Elevação gradual do piso - de R$ 1.014 para R$ 1.550 em 2021 - atinge 355 mil profissionais



© Marcos Corrêa/PR

Deputados e senadores decidiram entregar para o próximo presidente uma conta de quase R$ 5 bilhões ao derrubar, nesta quarta-feira (17), um veto do presidente Michel Temer.

Em votação no Congresso, eles contrariaram o governo e autorizaram reajuste de 53% no piso salarial dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias.

A elevação do piso atinge 355 mil profissionais.

Pelos cálculos do Ministério do Planejamento, se o número de agentes não aumentar, o impacto fiscal será de R$ 1 bilhão em 2019, R$ 1,6 bilhão em 2020 e R$ 2,2 bilhões em 2021.

Em julho, ao aprovar uma medida provisória enviada por Temer para reformular as carreiras de agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias, o Congresso incluiu no texto o reajuste do piso salarial.

O projeto prevê elevação gradual dos atuais R$ 1.014 para R$ 1.550 em 2021.

Temer sancionou a proposta, mas vetou o trecho que permitia os reajustes.

Entre os argumentos, afirmou que o aumento da remuneração é iniciativa reservada ao presidente e que o dispositivo fere a Lei de Responsabilidade Fiscal.

A derrubada do veto foi pessoalmente articulada pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE).

Durante a campanha eleitoral, o senador, que acabou derrotado nas urnas, fez críticas ao veto. Na sessão desta quarta, o próprio líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), defendeu a derrubada do veto.

Embora sejam contratados pelos municípios, 95% do valor do piso desses servidores é bancado pelo governo federal.

Ainda assim, a Confederação Nacional de Municípios, que reúne prefeitos de todo o país, se posicionou contra o reajuste.

O presidente da entidade, Glademir Aroldi, argumenta que o ônus para as prefeituras também é alto.

Aroldi diz que o aumento vai gerar pressão por reajustes de outras categorias e fazer com que municípios estourem o limite de gastos com pessoal. Com informações da Folhapress.


Por: Notícias ao Minuto.

Empresa fornecerá impressos e adesivos, no valor de R$ 111 mil, de acordo com o site do TSE



© Ueslei Marcelino / Reuters

A campanha de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República contratou uma gráfica envolvida em casos de corrupção e que já teve o dono preso.

A gráfica Print, de Cuiabá (MT), aparece em investigações no Mato Grosso, incluindo uma como destinatária de ilegal de dinheiro do frigorífico JBS.

A empresa foi contratada pela campanha de Haddad para o fornecimento de impressos e adesivos, no valor de R$ 111 mil, de acordo com o site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Além dela, a campanha petista, que é bancada com verba pública, gastou cerca de R$ 8 milhões com corporações com conexão com a Lava Jato.

O dono da gráfica, Dalmi Fernandes Defanti Junior, chegou a ser preso em 2015 durante a operação "Edição Extra", junto com os irmãos dele, Fábio e Jorge Defanti.

A operação investigava fraude em licitação de R$ 40 milhões para serviços gráficos para a Secretaria de Comunicação do governo matogrossense. A prisão ocorreu porque eles teriam apagado arquivos que mostravam que prestaram serviços para o governo.

A licitação ocorreu em 2011 e passou a ser investigada após denúncia de um empresário convidado para participar do suposto conluio.

Segundo ele, pelo esquema, além de combinar o resultado da licitação, as empresas imprimiriam bem menos material do que eram paga para fazer.

A gráfica Print também aparece em outro caso, ligado à Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Pelo esquema, as empresas devolveriam 75% de comissão a parlamentares.

Os casos seguem tramitando e, em 2016, a Justiça bloqueou R$ 7,4 milhões em bens da gráfica Print e sócios.

A empresa também aparece em delação premiada do ex-governador do estado, Silval Barbosa (MDB). Ele passou quase dois anos preso por fraudes cometidas entre 2011 e 2014.

De acordo com o depoimento de Barbosa dado ao Ministério Público Federal em 2015, Dalmi recebeu R$ 800 mil em espécie em um hotel no Rio, com objetivo de quitar dívida de campanha de 2014. O dinheiro era fruto de propina paga pelo frigorífico JBS, diz o depoimento.

O ex-governador, porém, afirma que o empresário não sabia a origem do dinheiro.

Esta não é a única empresa contratada pelo PT na eleição presidencial que aparece em casos de corrupção –juntas, as campanha de Haddad e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve a candidatura indeferida, gastaram R$ 8 milhões com empresas conectadas à operação Lava Jato.

A campanha de Lula gastou R$ 4,9 milhões para locação de equipamentos para gravação de programas com a Rentalcine –a empresa tem como sócios um réu na Lava Jato e um delator relacionado à Odebrecht no Peru. Já Haddad gastou mais R$ 2,1 milhões com a firma.

O PT também gastou mais R$ 741 mil na compra de panfletos da gráfica Braspor, que apareceu na Lava Jato por repassar dinheiro para uma empresa fantasma do ex-deputado federal André Vargas, na época do PT. A Braspor fez ao menos três depósitos na conta da LSI, a empresa mantida por Vargas. Os pagamentos somaram R$ 79 mil.

A assessoria de Haddad afirmou que contrata seus fornecedores seguindo a lei e que todas as despesas são informadas ao TSE. A reportagem procurou a direção da gráfica Print, mas não teve resposta. Os sócios da Rentalcine e da Braspor negam irregularidades. Com informações da Folhapress.


Por: Notícias ao Minuto.

A receita com uma cara modernizada foi exigência dos três chefs do Masterchef no episódio 8 da temporada 3 dos profissionais, exibido no dia 9 de outubro



© iStock

O cassoulet é um parente da nossa feijoada, por isso os brasileiros estão familiarizados com este tipo de preparo. Três cidades disputam a origem e o título de melhor variedade do prato desde a sua origem: Castelnaudary, Carcassonne e Toulouse. A receita com uma cara modernizada foi exigência dos três chefs do Masterchef no episódio 8 da temporada 3 dos profissionais, exibido no dia 9 de outubro. Confira o passo a passo e prepare a sua versão em casa:

Ingredientes


2 xícaras (chá) de feijão-branco (deixe de molho de um dia para o outro)

2 cenouras descascadas e cortadas em rodelas

3 dentes de alho inteiros

2 cebolas (1 picada em cubos e 1 inteira)

cravos-da-índia

100 g de bacon em cubos

80 g de toucinho

5 tomates sem pele e sementes picados

200 g de linguiça defumada sem pele fatiada

Sal e pimenta-do-reino

Farinha de rosca

Buquê de cheiros

1 ramo de tomilho

2 folha de louro

Modo de preparo


Prepare o buquê de cheiros: envolva os ingredientes em um pedaço de gaze e amarre bem. Reserve.

Em uma panela grande, junte o feijão, o toucinho, 3 dentes de alho, 1 cebola espetada com o cravo-da-índia, 1 cenoura em rodelas e o buquê de cheiros.

Cubra com água e deixe cozinhar por aproximadamente 1 hora ou até que o feijão esteja macio, sem desmanchar (cuide para formar um pouco de caldo).

Em outra panela, frite o bacon, adicione a linguiça e refogue até dourar. Junte a cebola picada e refogue por 5 a 7 minutos.

Adicione o tomate e tempere com sal e pimenta. Cubra com 2 conchas do caldo do feijão e cozinhe até que a carne fique macia.


Escorra o feijão (reserve o caldo e descarte a cenoura, a cebola, o pedaço de toucinho e o buquê de cheiros) e adicione-o à panela de linguiça.

Cubra com o caldo reservado e mantenha em fogo baixo até engrossar. Ajuste o sal e coloque em uma refratária que possa ir ao forno. Polvilhe a farinha de rosca por cima e leve ao forno por 30 minutos, ou até que a crista esteja dourada. Sirva a seguir.


Por: Notícias ao Minuto.

Presidente da Coreia do Sul levou "convite verbal" de Kim



© POOL New / Reuters

O papa Francisco expressou sua disponibilidade para viajar à Coreia do Norte, ao afirmar que "certamente" dará uma resposta caso seja convidado "oficialmente" pelo regime de Kim Jong-un.

O líder da Igreja Católica se reuniu nesta quinta-feira (18), no Vaticano, com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, que levou um "convite verbal" de Kim. "O Papa disse: 'Darei uma resposta sem condições se chegar um convite oficial e se eu puder ir", revelou o porta-voz de Moon, Yoon Young-chan.

O presidente do partido do chefe de Estado sul-coreano, Lee Hae-chan, já havia dito nesta semana que a visita de Francisco poderia ocorrer na próxima primavera do Hemisfério Norte, entre março e junho de 2019.

Segundo nota da sala de imprensa da Santa Sé, o Pontífice expressou seu "apreço" pelos esforços para "superar as tensões ainda existentes na Península Coreana".

"Foram destacadas as boas relações bilaterais e a contribuição positiva que a Igreja oferece em âmbito social, educativo e sanitário, assim como para a promoção do diálogo e da reconciliação entre os coreanos", acrescenta o comunicado.

A nota, no entanto, não faz referência ao "convite verbal" de Kim Jong-un. Francisco visitou a Coreia do Sul em 2014 e celebrou uma missa em Seul pela reunificação com o Norte. (ANSA)


Por:  Notícias ao Minuto.

Câmbio é considerado 'saudável' pelos especialistas em uma faixa entre R$ 3,70 e R$ 3,80



© Pixabay

O mercado financeiro já admite a possibilidade do dólar cair para R$ 3,50 no caso de vitória do candidato Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições presidenciais. As informações são da 'Veja'.

De acordo com analistas consultados pela revista, no há consenso sobre quando esse patamar deve ser alcançado e se a queda é sustentável. O câmbio é considerado "saudável" pelos especialistas em uma faixa entre R$ 3,70 e R$ 3,80. A última vez que o dólar chegou a R$ 3,50 foi em abril deste ano.

O dólar comercial opera no campo positivo nesta quinta-feira (18). A moeda americana era negociada a R$ 3,69 às 11h, com alta de 0,22%


Por: Notícias ao Minuto.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece em até 15% a proporção recomendada de cesarianas



© iStock

O ginecologista e obstetra Dr. Alberto Guimarães, referência em saúde da mulher e parto humanizado, alertou que o Brasil precisa mudar o hábito de realizar cesarianas desnecessárias. “Muitas mulheres preferem se submeter à cesariana por presumirem que o procedimento é mais indolor e menos sofrível. Sim, na cesárea, a paciente não sente qualquer tipo de dor devido à anestesia geral. Porém, pode sofrer muitas dores no pós-operatório e por conta das cicatrizes. No parto humanizado há dores naturais e intensas, mas as pacientes são influenciadas e encorajadas pelo médico e pela equipe multidisciplinar a participarem de um momento único e marcante. Passado o procedimento, quase não há dor e a mamãe estará pronta para cuidar de seu filho”, defende o médico.

De acordo com dados publicados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), dos partos realizados na rede pública de saúde, 40% ocorrem por meio de cesarianas. Já na rede particular esse índice chega a 84%, variando de acordo com a região do país.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece em até 15% a proporção recomendada. No Brasil esse percentual chega a 57% e ocupa o segundo lugar no mundo em número de cesarianas. Dados do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (Sinasc) referentes aos nascimentos em 2016 apontam que 55,4% do total de nascidos vivos no Brasil vieram ao mundo por intermédio das cesarianas. Entre os estados com maiores índices estão Goiás (67%), Espírito Santo (67%), Rondônia (66%), Paraná (63%) e Rio Grande do Sul (63%).


Por: Notícias ao Minuto.

São urnas de seções em que eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) afirmaram (e registraram formalmente, em ata ou boletim de ocorrência) que não conseguiram finalizar o voto para presidente



© REUTERS / Bruno Kelly

"O caos foi generalizado, as pessoas estão em pânico e vocês estão ralados", anunciava a voz ao microfone, numa terça-feira (16) de garoa insistente em Curitiba, em frente à sede do Tribunal Regional Eleitoral.

O grupo, de cerca de 20 pessoas, protestava contra o que qualifica como "omissão" da Justiça Eleitoral em apurar as queixas de "centenas, milhares de eleitores" contra um sistema que opera sem máculas há 22 anos e que, até pouco tempo, era considerado um orgulho nacional: a urna eletrônica.

A reclamação de quem diz não ter conseguido votar para presidente pipocou pelo país no primeiro turno e, em resposta, tribunais eleitorais em cinco estados começaram nesta semana a realizar a auditoria de urnas eletrônicas que foram alvo de queixas.

São urnas de seções em que eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) afirmaram (e registraram formalmente, em ata ou boletim de ocorrência) que não conseguiram finalizar o voto para presidente -ou porque a foto não apareceu, ou porque a votação se encerrou antes de se apertar o "confirma".

As auditorias, que em alguns casos serão acompanhadas por peritos indicados pelo PSL e entidades como a OAB e o Ministério Público, devem ocorrer entre esta quinta (18) e sábado (20), nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

A Justiça Eleitoral diz estar exercendo "o dever de processar e apurar todas as denúncias de irregularidades", e afirma que as novas auditorias se somam a práticas de verificação e segurança que já são praxe nas eleições. Mas, ao mesmo tempo, servidores criticam o clima de histeria em relação ao tema, em especial com a difusão de notícias falsas.

No Paraná, onde 756 urnas foram substituídas no primeiro turno (pouco menos de 3%, em um total de 26.792 seções), a reportagem presenciou eleitores se queixando, nos locais de votação, de que "um amigo foi apertar o 1 e apareceu o 13", ou que "tinha uma fila enorme no colégio aqui perto porque duas urnas estavam fraudadas".

Nenhuma das histórias foi confirmada -a primeira, motivada por um vídeo replicado pelo filho do presidenciável do PSL, o senador eleito Flávio Bolsonaro, foi desmentida naquele mesmo dia pelo TSE.A segunda, apurada pela Folha de S.Paulo, se mostrou falsa: nenhuma urna fora trocada na escola indicada pelo eleitor.

Servidores da Justiça Eleitoral reagiram, e reclamaram de "fantasias" e "teorias da conspiração".

"O direito de manifestação não é absoluto, e não pode servir de instrumento à desestabilização social", afirmou o presidente do TRE em Santa Catarina, Ricardo Roesler.

No estado, a Polícia Federal abriu inquérito para apurar a disseminação de denúncias de fraude sem base, que podem caracterizar um crime eleitoral ou até contra a segurança nacional.

"O eleitor tem todo o direito de reclamar. Mas a denúncia tem que ser séria", disse o procurador regional eleitoral em Santa Catarina, Marcelo da Mota. "É isso que quero apurar: se as denúncias são genuínas, e não fruto de um movimento ligado a um partido ou a uma candidatura."

Até mesmo a manifestação do deputado federal Fernando Francischini (PSL-PR) acabou virando alvo de um inquérito do Ministério Público Eleitoral -ele gravou um vídeo no dia da votação dizendo ter identificado urnas que "ou são fraudadas, ou adulteradas".

"Está escancarado que está havendo problemas. Uso aqui minha imunidade parlamentar. Nós não vamos aceitar esse resultado", disse ele no vídeo.

Seu advogado diz não ver crime na manifestação, e afirma que Francischini usou uma linguagem atécnica para arguir sobre temas de interesse público.

A queixa dos eleitores que disseram não ter conseguido votar foi recorrente. Em uma única urna em Santa Catarina, sete eleitores registraram problemas de forma oficial.

"O que nós queremos é auditagem. As pessoas foram votar e não conseguiram; isso é fato", diz o advogado do PSL no Paraná Gustavo Kfouri, que impugnou quatro urnas no dia da votação. "Eu não posso fazer juízo de valor, mas posso proceder legalmente e pedir a análise técnica."

Em algumas seções, eleitores se revoltaram por não terem conseguido votar. "Pulou o presidente, disse 'fim', e não apareceu mais nada", afirmou a pedagoga Vânia Dalmaz, 63, que registrou o caso em ata. Foi a única queixa em sua seção, onde a urna não foi substituída.

"Eu atribuo [os problemas] a uma intervenção do PT", disse à Folha a eleitora Dirlete Faccio, 65. "Eles não estão no governo, mas são cupinchas dele. Eu tenho certeza que o Bolsonaro ganharia em primeiro turno, mas, com essa loucura dessa gente que vai perder a mamata, fizeram isso."

Segundo quem reclama, há motivos para a desconfiança -em especial, a negativa da Justiça Eleitoral em implantar o voto impresso, mesmo após a decisão favorável do Congresso. "Foram argumentos pífios", disse a advogada e manifestante Patrícia Busatto, durante reunião com o TRE em Curitiba.

Eles se queixam também da falta de informação sobre como proceder em caso de falha da urna, e pedem respostas aos tribunais sobre o que ocorreu aos votos.

Para os eleitores, há uma tentativa de "mordaça" contra suas denúncias. "Como pode, o ministro da segurança [Raul Jungmann] vir a público e ameaçar aqueles que denunciarem fraudes? Disse que, se denunciassem sem provas, seriam presos. O que é isso?", afirmou Busatto. "Nós não vamos nos calar."

Para a Justiça Eleitoral, houve uma "provocação excessiva".

"A urna é só um equipamento; há toda uma estrutura, com técnicos e servidores íntegros, que trabalham há anos na Justiça Eleitoral e estão vendo seu trabalho sendo jogado no lixo", disse Mota, procurador em Santa Catarina. "Não dá para confundir isso com o que o PT fez no governo federal."

Juízes eleitorais destacam que os boletins de urna, uma espécie de relatório de votação de cada urna, mostram que, nas seções em que houve queixa, todos os votos para presidente, de todos os eleitores presentes, foram registrados.

Numa das urnas com maior número de reclamações, no colégio Positivo Júnior, em Curitiba, não houve um único voto nulo.

Os TREs reiteram que irão apurar toda denúncia de irregularidade ou falha registrada em ata, e pretendem concluir seus relatórios até antes do segundo turno. Mas destacam os procedimentos de segurança já implantados nas urnas: são cerca de 30 barreiras de segurança, que incluem criptografia, travas à execução do sistema em caso de detecção de irregularidade e assinaturas digitais feitas por entidades como TSE, Ministério Público e Polícia Federal, além de resumos digitais, garantindo a sua autenticidade e integridade.

"Existe uma diferença entre falha e fraude", afirmou à Folha o presidente da OAB no Paraná, José Augusto Araújo de Noronha. Ele defende que as queixas sejam registradas e eventuais falhas, apuradas e corrigidas, mas rechaça alarmismo.

Para o segundo turno, Noronha defende que os tribunais preparem cartazes e orientem o eleitor sobre o que fazer em caso de problemas.

Os mesários devem ser alertados, a queixa, registrada na ata da seção, e a urna pode acabar impugnada por fiscais de partido e substituída por urnas de contingência.

A reinicialização e substituição de urnas que apresentam problemas é praxe e uma obrigação da Justiça Eleitoral. Com informações da Folhapress.



Por: Notícias ao Minuto.

Em entrevista ao Blog Maluma Marques a Co-Deputada mais nova do Estado de Pernambuco nos conta como tudo começou.


Co-Deputada Joelma Carla (PSOL).



O começo foi em Alto Paraíso, em Goiás. Depois por outras partes do Brasil até chegar a Pernambuco.

Nas eleições desse ano, em Pernambuco, cinco mulheres apareceram com uma proposta diferente para um mandato coletivo, na ALEPE.

Nada difícil para se entender. A titular do mandato é Jô Cavalcanti (PSOL), eleita com mais quatro colegas. Obtiveram um total de 39.175 votos conquistados junto ao eleitorado pernambucano para um mandato na Assembleia Legislativa de Pernambuco.
       
Vale ressaltar que quase 20 mil votos foram conquistados em 177 municípios pernambucanos, mais o arquipélago de Fernando de Noronha. Isso, sem falar na expressiva votação obtida em Recife.
        
- “ Viajamos por esse Pernambuco à fora levando a nossa mensagem sobre a luta das feministas, das LGBT+, das juventudes, das negritudes, da moradia, da cultura, da educação e do trabalho. Temos consciência de que é muito difícil enfrentar a política assistencialista que é praticada há muitos anos. Serei uma co-deputada atuante, dividindo com as demais integrantes do JUNTAS (PSOL). Nossa proposta é pioneira no Nordeste”, falou Joelma Carla, uma quase surubinense, pois nasceu em Bom Jardim.
       
Radicada há muitos anos em Surubim, Joelma Carla estudou durante sete anos na Escola Ana Faustina. Já foi candidata a vereadora em 2016. Nas eleições deste ano de 2018, participou de uma experiência inovadora disputando uma vaga para a Assembleia Legislativa de Pernambuco.
        
- “Em Surubim, obtivemos 352 votos, ficando o nosso grupo “Juntas” em quinto lugar na contagem geral. A titular do nosso mandato é Jô Cavalcanti. Mas o nosso trabalho será conjunto na troca de ideias e formulações de propostas para serem levadas à tribuna da ALEPE e ao conhecimento de Pernambuco”, falou Joelma Carla, afirmando ainda que “estarei com foco no interior do nosso Estado, no sentido de trabalhar junto aos movimentos da juventude, ampliando o que já vinha realizando nesse tempo que estou engajada aos movimentos sociais. Cuidaremos de ações voltadas para a juventude, fomentando a cultura. ”

Com certeza, a estudante de Letras Joelma Carla, a advogada Robeyoncé Lima, a jornalista Carol Vergolino e a professora Kátia Cunha estarão com uma proposta inovadora que muito terá o que fazer.

E com relação ao voto, quando das reuniões deliberativas, a co-deputada Joelma Carla falou o seguinte: “ Jô Cavalcanti fará uso do painel de votação. Mas, antes ela terá o consentimento de todas co-deputadas. A gente vai ter um Conselho Político para nos ajudar naquilo que for preciso e para estar acolhendo as demandas da população. ”

Joelma Carla é estudante de Letras, cursando na UFRPE, tem vinte anos de idade, é técnica em Biblioteconomia, secretária do PSOL, em Surubim. No PSOL de Pernambuco, Joelma Carla é secretária de comunicação.

Interessante perceber o que elas resolveram decidir sobre os subsídios, verba de gabinete e outras coisas mais. Todas dividirão entre si, o que normalmente recebe um deputado estadual no exercício do mandato parlamentar. Jô Cavalcanti será a titular do mandato. As demais, exercerão a função de assessoras parlamentares, prometendo trabalhar o tempo possível defendendo as suas bandeiras.


Nos votos totais, Jair Bolsonaro, do PSL, tem 52%, e Haddad, 37%. Pesquisa é a primeira do Ibope no segundo turno das eleições.




O Ibope divulgou nesta segunda-feira (15) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado no sábado (13) e domingo (14) e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes: 

  • Jair Bolsonaro (PSL): 59%
  • Fernando Haddad (PT): 41%




Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Votos totais
Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 52%
  • Fernando Haddad (PT): 37%
  • Em branco/nulo: 9%
  • Não sabe: 2%



Pesquisa Ibope - 15 de outubro - segundo turno das eleições presidenciais — Foto: Arte/G1

Rejeição


A pesquisa também apontou o potencial de voto e rejeição para presidente. O Ibope perguntou:"Para cada um dos candidatos a Presidente da República citados, gostaria que o(a) sr(a) dissesse qual destas frases melhor descreve a sua opinião sobre ele"?

Jair Bolsonaro


  • Com certeza votaria nele para presidente - 41%
  • Poderia votar nele para presidente - 11%
  • Não votaria nele de jeito nenhum - 35%
  • Não o conhece o suficiente para opinar - 11%
  • Não sabem ou preferem não opinar - 2%


Fernando Haddad


  • Com certeza votaria nele para presidente - 28%
  • Poderia votar nele para presidente - 11%
  • Não votaria nele de jeito nenhum - 47%
  • Não o conhece o suficiente para opinar - 12%
  • Não sabem ou preferem não opinar - 2%


Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 2506 eleitores em 176 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 13 e 14 de outubro
  • Registro no TSE: BR‐01112/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e "O Estado de S.Paulo"
  • O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.



Por: G1.