COLÉGIO NOSSA SENHORA DO AMPARO, 87 ANOS DE PRESENÇA EM SURUBIM

0 Comments
Fachada do Colégio Nossa Senhora do Amparo.

Idos de 1929, tempos de crise mundial e difíceis para o recém criado município de Surubim, emancipado 10 meses antes,  e que na época não contava com qualquer infraestrutura, quer fosse em qualquer área. Na educação, a situação não era diferente. Veio do padre Antônio de Lima Cavalcanti, austero e determinado nos seus ideais, a brilhante e ousada iniciativa de trazer para estas paragens um colégio dirigido sob a orientação de religiosas. Levou o seu intento ao Revmo. Bispo Diocesano a época, D. Ricardo Vilela que não hesitou e com sua influência buscou em Petrópolis – RJ, as Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Amparo, através de sua Superiora Geral a Madre Francisca Pia, que certamente deve ter imposta alguma resistência, uma vez que suas prendadas filhas, bem como suas casas filiais, jamais haviam cruzado as fronteiras dos estados da região Sudeste, berço da Congregação. Provavelmente após longas discussões e detalhada análise é dado o aval para que as Irmãs Franciscanas rompam as barreiras daquela região e instalem-se no desconhecidíssimo município do Surubim. São designadas para tal missão as pioneiras: Madre Ana de Nossa Senhora do Carmo, como Superiora e consequentemente Diretora da Escola, Madre Serafina de Santa Tereza, como 1ª Assistente, Madre Cecília Amorim de nacionalidade portuguesa, como 2ª Assistente e Irmã Alice dos Anjos, como auxiliar, cuja missão era dar o pontapé inicial dos trabalhos do Amparo por estes arredores.

Numa tarde fria do inverno chuvoso da pacata Surubim, no dia 13 de julho daquele ano, a comunidade se preparou para receber as filhas de Nossa Senhora do Amparo, numa festa preparada com muito carinho pelas senhoras e senhorinhas do novo município. As autoridades, em especial o Dr. Dídimo Vieira Carneiro da Cunha, o nosso Prefeito, incumbiram-se de cuidar da locomoção e instalações das quatro freiras que chegariam por aqui naquela tarde. A residência das reverendas foi na Rua João Pessoa, hoje Rua Sete de Setembro, num casarão que pertencera ao Cônego Benigno Lira, hoje Lojas Americanas. As instalações precárias foram adaptadas para o devido fim, constando para tanto, além dos aposentos, uma pequena e improvisada capela sob a proteção de Nossa Senhora do Amparo. No dia seguinte e com a presença do Bispo Diocesano era inaugurado o Colégio e Orfanato Nossa Senhora do Amparo, cujo efetivo era composto por 23 alunas que recebiam daquela instituição aulas de português, aritmética, francês, educação doméstica e bordados manuais, tudo ministrado pelas reverendas freiras.

A caminhada era árdua! À custa de esmolas, as irmãs foram tocando a obra, mas em 1933, uma grave seca assolou a região e as Irmãs sofreram com estas mazelas ao ponto do Conselho Geral da Congregação decidir pelo fechamento da casa, devendo as irmãs aqui residentes, seguirem para Maceió - AL, onde no ano anterior fora inaugurado a Escola Maria Imaculada no Bairro do Farol, sob a Direção da Congregação em foco. Partiu daí um movimento que agregou toda a Comunidade surubinense bem como a Diocese para que as irmãs não fossem embora e continuassem suas atividades no município, esboçou-se uma campanha das distintas senhoras da terra com vistas a angariar fundos para serem revertidos em prol do Colégio, movimento este que a Madre Superiora Geral da época, Irmã Maria Luíza Gonzaga chamaria de Mães Cristãs. O Coronel Dídimo por sua vez, doou um terreno que servia de campo de futebol, contíguo ao antigo cemitério da cidade, situado na então Rua Benjamin Constant, hoje Avenida Agamenon Magalhães, lá seria erguido o novo prédio do Amparo, em 16 de junho de 1935. O Amparo foi enfim para sua sede definitiva, tocou-se o barco. A Escola foi crescendo, outras crises viriam como aquela que assolaria o educandário a partir da inauguração da Escola Ana Faustina que era pública e oferecia os mesmos cursos do Amparo. Nelson Barbosa então Deputado Estadual, conseguiu celebrar, através do Governo do Estado, um convênio para instalação do curso de magistério, passando o Amparo a se chamar, Colégio Normal Nossa Senhora do Amparo.

Novas conquistas, novos desafios, a Escola pioneira continuou suas atividades e no início da década de 1970, outra crise norteou o Educandário que quase fechou suas portas, não o fazendo graças ao Deputado Federal Luiz Gonzaga de Andrade Vasconcelos, até hoje reconhecido como o maior benfeitor da casa e do Deputado Estadual Monsenhor Luíz Ferreira Lima, juntos, eles conseguiram um convênio com Estado que permitiu a gratuidade nos estudos de alguns alunos, contemplados pelas chamadas bolsa de estudos. Este convênio vigorou até o ano de 1996. Por estes tempos foi instalado o Curso Técnico em Contabilidade, que funcionou durante muito tempo à noite.

Em 1985, o colégio que antes era basicamente feminino, pois meninos ali só estudavam até a 4ª série do antigo primário, abriu vagas para meninos, tornando-se totalmente misto.

Segue aquela Casa de Educação os seus trabalhos de forma ininterrupta. O prédio sofre ao longo dos tempos reformas estruturais, a parte pedagógica também se adéqua aos tempos. Como Escola Confessional Católica, a formação espiritual dos educandos é sempre priorizada. Hoje, são 87 anos de serviços prestados a Surubim, credenciando a amada Instituição como patrimônio da nossa cidade. É, depois do Sport Club de Surubim, a instituição mais antiga em funcionamento no município. Tem como Superiora Local, a Irmã Maria Luíza Soares, Diretora a Irmã Sheila Gomes e Irmã Auxiliadora Coelho como Vice Diretora, conta com um número aproximado de 1.100 alunos distribuídos em dois turnos nos cursos de Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio semi-integral.       


O CNSA destaca-se também pelas atividades extraclasse que oferece, primando assim, pela formação da sua clientela. Entre tantos desafios, vencidos responsavelmente, faz o Colégio Nossa Senhora do Amparo, em sua longa estada, jus ao hino cantado por todos: VÃO-SE AS GERAÇÕES E OUTRAS TAMBÉM VÃO PASSAR, MAS O AMPARO, O AMPARO VIVERÁ!

1ª Diretora Irmã Ana de Nossa Senhora do Amparo

25 aos de vida religiosa de Ir. das Neves e 50 anos de vida religiosa de Ir. Natalina- 1987

CCNSA Gincana

Colégio Nossa Senhora do Amparo 18 de dezembro de 1955 Inauguração do auditório

Formatura do hoje Padre João Ribeiro

Foto oficial da Cajutulo Geral Petrópolis

Frente antiga do colégio

Inauguração da quadra esportiva Joel de Hollanda - 1982

Início da reforma - 1972

Irmãs e alunos no pátio da escola

Jogos internos - Corrida do fogo simbólico 1973

Orfanato Nossa Senhora do Amparo - Surubim - 1955

Pátio interno antigo

Pátio interno do antigo colégio

Recepção oferecida ao prefeito de Recife Antônio Farias
.


You may also like

Nenhum comentário: